Avenida Paulista: Um dos pontos turísticos mais conhecidos de São Paulo

Quando você ouve falar sobre a Avenida Paulista, o que vem na sua mente?

Inúmeras coisas para fazer?

Muitas pessoas diferentes?

Uma das principais avenidas de São Paulo?

Vários lugares para conhecer?

Pois fique sabendo que tudo isso está correto! Inaugurada no final do século XIX, a Avenida Paulista é um dos principais atrativos da capital paulista, e ao longo deste conteúdo será possível entender os motivos.

Se você está pensando em visitar São Paulo somente por conta dessa avenida, saiba que não se arrependerá, muito pelo contrário.

Afinal, o local é capaz de te manter entretido por vários dias sem nenhum problema.

Ao longo de quase três quilômetros de extensão existem muitos lugares para conhecer e visitar.

Espaços culturais, lojas, shoppings, bares, restaurantes, museus e arranha-céus empresariais são apenas algumas das coisas possíveis de se encontrar no decorrer da Paulista.

Por lá, você pode estar andando e simplesmente se deparar com um show incrível na beira da calçada!

Está preparado para descobrir o que fazer na Avenida Paulista?

Então basta continuar a leitura deste conteúdo.

O que fazer na Avenida Paulista?

Avenida Paulista

Crédito – ROGERIO CASSIMIRO – AVENIDA PAULISTA – SÃO PAULO/SP

Antes de tudo, por conta da grande quantidade de coisas para se fazer na Paulista, você precisa levar em consideração quanto tempo irá durar a sua viagem.

Pretende passar um final de semana em São Paulo ou a semana toda?

Durante o período, quer conhecer outros lugares ou apenas a avenida?

Responder essas perguntas é fundamental para conseguir montar o melhor roteiro de viagem e, assim, aproveitar bastante o seu passeio visitando alguns desses locais:

1. MASP

Simplesmente não ter como ir até a Avenida Paulista e não reservar um tempo para conhecer o Museu de Arte de São Paulo, mais conhecido como MASP, um dos museus mais importantes da América Latina.

Lá é possível encontrar e apreciar de perto obras de artistas incríveis, como Monet, Cândido Portinari, Van Gogh, Anita Malfatti, Manet, entre vários outros.

Todas as obras estão fixadas em um vidro vertical preso em um bloco de cimento, mais conhecido como cavaletes de cristal.

Sendo assim, não existe uma ordem exata a ser seguida, cada pessoa escolhe o seu trajeto dentro do museu.

Inaugurado em 1968, o prédio é todo feito de vidro e concreto, e sustentado por quatro pilastras vermelhas, algo que foi bastante inovador para a época.

O MASP funciona de terça à domingo, das 10h às 18h, sendo que de quinta-feira fica aberto até as 20h.

2. Itaú Cultural

Outra opção localizada na Paulista para conhecer é o Itaú Cultural, um centro cultural que abriga exposições temporárias e sempre gratuitas.

Durante todos os finais de semana há algo diferente por lá, por isso você precisa ficar de olho na programação da semana da sua viagem.

Além disso, no térreo existe um café e um espaço para descanso, ideal para quem já andou bastante pela avenida.

Vale ressaltar que o espaço está aberto de terça à sexta, das 09h às 20h, e de sábado, domingo e feriados das 11h às 20h.

3. Parque Trianon

Gosta de apreciar a natureza?

Então não deixe de reservar um tempo para ir até o Parque Trianon, um espaço de área verde remanescente da Mata Atlântica.

Com certeza é algo que chama bastante a atenção em meio a todos aqueles arranha-céus, não é mesmo?

A infraestrutura do parque é muito boa, então você pode sentar em um dos bancos e passar um tempo por lá, apenas admirando o local e descansando.

Ele abre todos os dias, das 06h às 17h30.

4. Centro Cultural FIESP

Gosta bastante de cultura?

Então além do Itaú Cultural e do MASP, vá também até o prédio da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Isso porque além de abrigar o escritório central da federação, esse prédio conta com um centro cultural no térreo.

Quem sabe no dia da sua viagem não tenha uma exposição interessante por lá, não é mesmo?

Fique de olho.

O prédio funciona de terça à sábado das 10h às 22h, e de domingo e feriados das 10h às 20h.

5. Casa das Rosas

Por fim, mas não menos importante, outra opção é ir até a Casa das Rosas, construída em 1935 com o objetivo de ser a moradia da família do arquiteto Ramos de Azevedo — ele também planejou o Mercado Municipal, bem como a Pinacoteca.

Hoje, essa casa, na verdade mansão, tornou-se um centro cultural com shows, músicas e danças, e está sempre aberta ao público.

Por volta de 190 mil turistas visitam esse lugar por ano, portanto não deixe de fora do seu roteiro.

Quando ir?

Crédito – ROGERIO CASSIMIRO – AVENIDA PAULISTA – SÃO PAULO/SP

Está na dúvida sobre qual a melhor época para ir até São Paulo e conhecer a Avenida Paulista?

Então, uma dica é levar em consideração o clima.

Geralmente, no inverno, principalmente entre junho e agosto, o tempo é mais frio e seco.

Caso vá viajar nesse período, não se esqueça do agasalho, ainda mais para andar na Paulista, repleta de prédios que não deixam o sol entrar.

Por outro lado, o verão (dezembro até março) é mais quente e úmido. Sendo assim, por mais que o calor esteja presente, as chuvas também estarão.

Por isso é importante analisar o que você prefere, certo?

Portanto, com base nas condições climáticas, as melhores épocas para visitar a Avenida Paulista são a primavera e outono (entre abril e maio ou setembro e outubro), quando as temperaturas são mais amenas e as chuvas não acontecem com tanta frequência.

Pousadas e hotéis

Depois de saber o que fazer e decidir quando ir até a Paulista, chegou o momento de conhecer alguns lugares para ficar hospedado.

Nesse caso, como São Paulo é uma cidade muito grande, opte por ficar próximo à avenida, certo?

Mesmo pagando um valor mais alto nas diárias, é possível economizar com transporte, então acaba valendo a pena.

Um dos melhores trechos de hospedagem é entre a Consolação e o MASP, indo também em direção ao Jardins.

A variedade de hotéis nessa região é bem grande, portanto com certeza você encontrará um que agrade o seu bolso e os seus gostos.

Se estava querendo saber mais informações antes de realmente visitar a Avenida Paulista, então agora não há mais com o que se preocupar além de montar o roteiro da sua viagem e aproveitar bastante cada segundo por lá!